TV SOBAPE   SOBAPE NOTÍCIAS   CENTRO VIRTUAL   PEDIATRICS   NEOREVIEWS   REVISTA BAIANA
 
Página principal

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Chegada do Inverno favorece casos de infecções de vias aéreas superiores
Publicada em 18/06/2019


 

Foto: iStock Images

Com a proximidade do Inverno, aumentam as ocorrências de infecções de vias aéreas superiores (IVAS), sobretudo em crianças com idade escolar. Como diz a otorrinolaringologista Nayara Lacerda, da Sociedade Baiana de Pediatria, algumas crianças chegam a ter de 7 a 10 episódios no ano, com casos mais concentrados na estação mais fria. Para evitar possíveis complicações, a médica defende a vacinação e o acompanhamento médico especializado.

“Apesar de menos de 2% das IVAS evoluírem para uma rinossinusite bacteriana, outras complicações podem acontecer, ainda que de forma rara. São as otites, faringoamigdalites, laringites e pneumonias”, enumera Nayara Lacerda, especialista em Otorrinopediatria.

O primeiro passo, segundo a médica, é diferenciar gripe de resfriado. “A gripe é causada pelo vírus influenza (tipos A ou B) e, geralmente, é caracterizada por febre alta, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca, o que pode durar até duas semanas”, diz,explicando que a febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. “Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar”, alerta.

Já o resfriado, como esclarece Nayara Lacerda, é causado por vírus diferentes, sendo os mais comuns rinovírus, parainfluenza e o vírus sincicial respiratório (RSV). “Os sintomas do resfriado são mais brandos e duram menos tempo do que a gripe, sendo, em média, quatro dias. Os sintomas incluem tosse, congestão nasal, coriza, dor no corpo, febre baixa e dor de garganta leve”, enumera.

O diagnóstico da gripe normalmente é baseado em sinais e sintomas percebidos durante o exame físico. “Os resultados dos testes específicos para determinação dos vírus demoram alguns dias, não sendo obtidos, portanto, na fase aguda da infecção. Os exames de imagem, como os de Raio X, por exemplo, não fazem parte da rotina diagnóstica.

Como explica a médica, a infecção é combatida pelo próprio sistema imunológico e as medicações são utilizadas para aliviar os sintomas. Por isso, são importantes o repouso e a hidratação. “A febre é controlada por analgésicos e antitérmicos e as medicações antivirais são indicadas para alguns casos específicos, mais graves e pacientes com fatores de risco”, diz.

Ocorrências no Inverno

No Inverno, são maiores as aglomerações em ambientes fechados, o que aumenta a proximidade entre as pessoas, facilitando a transmissão do vírus. “O frio não é, portanto, causa da gripe, mas cria condições para maior disseminação do vírus em lugares com pouca ventilação onde as pessoas falam, tossem e espirram muito perto umas das outras”, orienta.

“O tempo seco e frio dificulta também a dispersão dos poluentes atmosféricos, piorando a qualidade do ar, gerando maior irritação da mucosa respiratória, o que pode agravar patologias prévias, como rinites e asma, além de facilitar as infecções”, completa a médica.

A infecção é combatida pelo sistema imunológico, as medicações utilizadas são indicadas para aliviar os sintomas, por isso é importante o repouso e hidratação.
Para controle da febre e dor é recomendável o uso de analgésicos e antitérmicos. As medicações antivirais são indicadas para alguns casos específicos, mais graves e pacientes com fatores de risco.

Prevenção

Como a transmissão dos vírus é feita através de gotículas da saliva ou de secreção respiratória, cuidados básicos de higiene devem ser redobrados, como destaca a médica:

- Lavar as mãos com água e sabão ou com álcool gel;
- Evitar locais aglomerados ou fechados;
- Cobrir a boca e o nariz com papel ao tossir ou espirrar;

- Tomar vacinas. A imunização previne infecção por três ou quatro tipos de vírus. Em 2019 o Ministério da Saúde ampliou o limite de idade no público infantil e crianças de 6 meses até 6 anos incompletos podem tomar a dose nos postos de saúde. A proteção vacinal tem início de 10 a 15 dias após a aplicação e estende-se por 1 ano.

 
Listar todas as notícias
 


Av. Professor Magalhães Neto, 1450 - Caminho das Árvores - Salvador, BA Telefone: (71) 3341.6013
By Designer Kéu Meira Resolução Mínima de 1024 x 768 © Copyright 2013 Sociedade Baiana de Pediatria